Avante Vingadores!

  • on 28/04/2012
  •  

    Estreou no dia 27 de Abril, um dos filmes mais esperados desde 2005: “Os Vingadores”, o filme de heróis em crossover que está sendo elogiados por dezenas de fãs e críticos de cinema. Fui na primeira sessão da estreia: de quinta pra sexta à meia noite. A sessão dos fãs! Fui empolgado, estava há mais de três semanas com o ingresso comprado e não parava de falar no filme. É inegável que está excelente, mas para dar minha opinião irei enumerar os medos que tinha antes de vê-lo.

     

     

    1º – Medo do filme ser um “Homem de Ferro 3”.

     

    Não que eu não goste da franquia “Homem de Ferro”. É muito boa… e apesar de não curtir muito o Robert Downey Jr. como ator, devo admitir que ele é o Homem de Ferro, creio que até da vida real, mas um filme que propõe contar a história de vários heróis não pode se fixar em somente um, ainda mais quando todos tem histórias extraordinariamente interessantes. Infelizmente esse medo me foi posto pela campanha de divulgação do filme, mais especificamente os pôsteres que procuram colocá-lo num primeiro plano. Entendi depois que isso era uma jogada de marketing, pois o ator é o maior nome do filme e fiquei feliz em saber que todos tem grande espaço dentro de “Os Vingadores”. É claro que o Tony Stark tem seu destaque, mas porque o personagem tem o que falta nos outros… carisma. Todos contracenam muito bem e tem relevância na história e isso é importante. Os roteiristas conseguiram pegar o melhor de cada um e juntar. Somente o Thor é meio deixado de lado, mas isso é porque o semideus é um personagem mais calado, sisudo e sem nenhum carisma. Então tem sua explicação…

     

    2º – Medo de um novo Hulk.

     

    O Hulk já mudou duas vezes.

    O Hulk de 2003 interpretado por Eric Bana foi muito ruim, o filme era monótono até nas cenas de ação. Foi feito um suspense enorme pra mostrar a cara do Hulk enquanto a gente tentava entender os conflitos de Bruce Banner. Isso tudo fez do filme “um saco”.

    O Incrível Hulk de 2008 foi com Edward Norton. Sou meio suspeito ao falar do trabalho de Norton, pois acho que ele é o maior ator da atualidade. Mais uma vez a aposta do filme foi nos conflitos de Banner. Bem, pelo menos tinham o ator certo para isso. A parte de “porrada” foi sensacional e o Hulk realmente esmagou. Esse filme ficou bom porque os Estúdios da Marvel estavam à frente da produção, diferente do anterior.

    Quando fiquei sabendo que mudaram de novo o ator, me bateu o medo. Isso porque Norton teria brigado com o pessoal da Marvel. Entendam: O cara é tão bom que ele quer o direito de mexer no roteiro e isso sempre dá em briga. Enfim, o novo Hulk é Mark Ruffalo… O cara do “De repente 30”. Te irrita o fato de depois que você achou o ator perfeito pro papel, mudarem. Mas enfim é a vida… Mark Ruffalo mandou bem, como não temos tempo pra aprofundar o personagem, a superficialidade impera. O Hulk rouba a cena no filme. Deixo bem claro que o Hulk rouba a cena… O Hulk. A computação gráfica.

     

    3º – Medo do Vilão.

     

    Eu não gostei do filme do Thor. Tudo muito forçado: o amor dele com a Natalie Portman, o porquê dele estar na Terra, o Odin do Anthony Hopkins, o Thor sem carisma, tudo muito forçado… E o Loki é um vilão que fica só na pretensão. Ele pretende ser um vilão magnífico, mas deixa muito a desejar. Em “Os Vingadores” Loki está mais maligno. Está sedento por vingança, está mais solto, tem uma motivação mais aceitável. Desta vez vemos um Loki com brilho no olhar.

     

    4 – Medo do Trailer

     

    O maior problema dos filmes hoje em dia é a divulgação. E dentro dessa categoria o trailer é o pior. Hoje em dia, pra compensar os filmes mal feitos, fazem-se trailers que contém as melhores partes do filme e ponto final. O resto do filme é horroroso. Poderíamos pagar para assistir o trailer e talvez sair mais satisfeitos. Tinha medo do filme ser ruim e pus a culpa disso no trailer. Graças a Deus, eu estava errado, porque as melhores partes são aquelas que não estão no trailer e não vale a pena contar que partes são porque eu estaria dando spoiler e não é essa a minha intenção. Não que as partes do trailer não sejam ótimas, mas “uau”… “O que é o resto do filme?!”

     

     

    Enfim, já rendi vários elogios ao filme. Não me decepcionei de forma alguma. Comparo a minha ida ao cinema a alguém que tem vontade de comer um prato e consegue. “Nossa, que prato maravilhoso! Foi o melhor que eu já comi”. Visto que a franquia de Batman do Nolan, não é um filme policial, este é  melhor filme de herói dos últimos tempos. Parabéns Marvel e muito obrigado pelo prato bem servido. Espero voltar, experimentar outros e gostar mais ainda. Pelo menos uma provinha você me deu ao final de “Os Vingadores”, a cena pós créditos é uma preciosidade.

     

    O melhor trailer do filme é o de 35 segundos. Menos informações e mais bem feito.
    Share |

    2 Recados:

    Douglas Zílio Coutinho. disse...

    Vamos lá, quando você elogia o Hulk "Computação gráfica" você está elogiando em termos o Mark R, já que foi ele quem fez toda a movimentação do Golias de esmeralda. O cara diz ter passado dias, semanas assistindo Discovery Animal, estudando assim a movimentação dos gorilas e tudo mais. E mesmo quando homem, ele arrebentou. Interpretou o Banner do início dos quadrinhos, um simples nerd encubado que não confia em ninguém kk . Continuando, rs. O homem de ferro ficou em destaque por ser o primeiro líder dos Vingadores. Não apenas por um ponto de vista financeiro, o que é claro que contou MUITO. Se você reparar, durante o filme a ideia do Capitão ser o líder absoluto não ficou em evidência momento algum.

    Leandro Luz disse...

    Preciso reassistí-lo para comentar melhor por aqui. Mas lá vai:

    De todos os filmes com a proposta baseada em "entretenimento" e em "super-heróis", Os Vingadores talvez tenha sido a minha experiência mais satisfatória. Mesmo acreditando que a comédia tenha roubado a cena, gostei de como a trama foi desenvolvida (trama por assim dizer um pouquinho fraca, talvez, como você mesmo disse, pelo próprio vilão não ter autoridade suficiente para bancar todo o antagonismo). Fiquei satisfeito também com a excelente distribuição na voz de cada personagem, dando chance para que o espectador pudesse se apegar a cada herói. Ponto alto do filme é a excelente interpretação de Ruffalo e o ponto baixo talvez seja exatamente a falta de complexibilidade que o roteiro poderia nos ter oferecido. Saldo geral: ótimo filme de super-heróis.

    Leandro Luz
    http://www.nofimdouniverso.com.br/