Caro Peter sei como se sente.

  • on 29/07/2007
  • Caro Peter

    Estava indo ver o Quarteto Fantástico no Norte Shopping, sessão de 15h e poucas, estava atrasado, depois de muito custo tinha arranjado uma companhia, bastante agradável diga-se de passagem, está meio em cima da hora, então iria pegar um taxi, como é bem perto não seria muito caro e a companhia valeria a pena.

    Tirar alguém da cama em um domingo chuvoso e frio não é exatamente fácil, em especial se você não é assim... um Clark Kent.

    Depois de percorrer o MSN, Orkut, Agenda do celular e quase tendo que recorrer a agenda vermelha (um dia explico) encontrei uma companhia, tive quase que chantagea-la, mas enfim ela saiu de suas cobertas para ir ao shopping ver o filme acima citado.

    Me preparei para um programa bem simpático, cineminha, lanchinho e... Bem sei lá.

    Foi quando na saída do minha Batcaverna tive um reflexo impensado, peguei os restos mortais de um frango de padaria e levei a até a caixa mágica, aquele lugar onde se coloca o lixo e ele desaparece sem deixar vestígios (pelo menos era assim que eu achava).

    Ao abrir a porta do minísculo cômodo onde fica a caixinha me deparei com uma cortina de fumaça sufocante, e com um cheiro bem peculiar. Um barulho ensurdecedor de fogo vinha de dos andares abaixo! Desci as escadas correndo.... Ok na verdade ainda liguei para o porteiro para saber se ele sabia de alguma coisa, mas poxa é minha primeira vez salvando o mundo.

    Ai sim, desci as escadas correndo fui a portaria e peguei as chaves da lixeira do prédio, ao chegar perto o barulho de fogo era imenso e só vinha na minha cabeça aquela ideia de que quando você abre a porta de um cômodo que está sendo consumido pelas chamas o ar acaba entrando e provocando explosões.

    Corajosamente meti o pé na porta... Ok abri com a chave. E lá dentro uma imagem do inferno um incêndio já destruira a caçamba de lixo e ameaçava as diversas tubulações.

    Procurei um extintor entre naquele inferno fedorento e extingui o incêndio, bravamente é claro.

    Em pouco tempo os outros condôminos chegaram e terminaram o serviço, e enfim o louco antipatico do 403, virou heroi!

    Mas em compensação ao chegar no apartamento tive que ligar para minha convidada para dizer que não ia, imagina o cheiro que eu tinha ficado? Como ir? Mas minhas desculpas parecem não ter comovido muito a senhorita...

    Mesmo agora depois de diversos banhos ainda acho que aquele cheiro medonho ainda não saiu por completo.

    É Peter temos sempre que abrir mão de nossa vida para o bem do próximo, que sina.

    Abraços.






    Share |

    2 Recados:

    Gustavo Barud disse...

    hahahahahaha bela historia....

    Le Chasseuse ! disse...

    hahahahaha !

    Djan Parker !
    :P


    Da próxima vez vc salvará uma mocinha em apuros de um prédio em chamas !!
    hehehehehe

    Beijos :*