Chegando mais perto

  • on 19/07/2007
  • Sempre desconfie que outros habitantes de ZEC já tivessem caído por aqui, algumas histórias e enredos de séries, filmes e livros de ficção são escancaradamente inspirados (ou copiados) de fatos ocorridos em ZEC, mas minhas suspeitas nunca foram comprovadas, até agora.

    Existem pessoas neste planeta estranho e hostil que são aficionados em estudarem a origem do universo, eles se auto intitulam FÍSICOS. Mal sabem eles que a Terra, sendo um satélite de uma estrela classe 39.7 está em constante exposição à forças de absorção subespacial, que faz com quê qualquer esforço para entender o surgimento do universo seja inútil. Visto que não se pode levar em consideração as interações subespaciais.

    Por isso que as teorias terrestres estão sempre cheias de idéias absurdas como constates cosmológicas, matéria escura, energia escura, singularidades ou Big Bang!

    Li recentemente um artigo interessa, que me faz pensar que não estou só neste planeta, talvez exista mais alguns náufragos por aqui.


    "Meu artigo introduz um novo modelo matemático que nós podemos usar para derivar novos detalhes acerca das propriedades de um estado quântico na medida em que ele viaja através do Big Bounce, que substitui a idéia clássica de um Big Bang como o início do nosso universo,"

    Os fios quânticos do tecido do espaço-tempo

    Essa é justamente a pretensão da Teoria da Gravidade Quântica em Circuito Fechado. Ela estabelece que o tecido do espaço-tempo tem uma geometria atômica construída com "fios" quânticos unidimensionais. As leis da física quântica, que dominam as condições extremas nos instantes imediatamente anteriores ao colapso do universo que precedeu o nosso, faz com que esse tecido de espaço-tempo seja violentamente rasgado. A gravidade então se torna fortemente repulsiva e aí se dá o Grande Salto. E nasce o nosso universo.

    Nesse acontecimento dramático é possível tirar pelo menos duas conclusões importantes sobre esse universo anterior. A primeira é que ele apresentava um comportamento de contração, contrariamente ao que agora acontece com o nosso, que está em expansão. A segunda é que ele possuía uma geometria do espaço-tempo similar à apresentada pelo nosso universo.

    A nova teoria joga por terra um comportamento já levantado por outros cientistas: o de que o universo "renasceria" seguidas vezes, contraindo-se e renascendo sempre com as mesmas características. Pelo menos um dos parâmetros que se referem ao universo anterior não sobrevive à viagem através do Grande Salto - este é o "esquecimento cósmico" a que se refere o cientista. "A eterna recorrência de universos absolutamente idênticos parece ser uma impossibilidade devido à aparente existência de um esquecimento cósmico intrínseco,"

    É óbvio que essa idéia é derivada da velha crença da Harmonia do universo perfeito formado por reencarnações distintas de si mesmo. Numa sucessão de existências finitas no espaço e tempo.

    Mas o que me deixou mais intrigado sobe a possibilidade de existirem outros náufragos por aqui foi essa imagem.

    É óbvio que se são Simbios, provavelmente de algum planeta fora de ZEC, mas mesmo, mas assim já seria uma esperança de retorno...
    Vou procurar saber se eles podem me dar uma carona.
    Share |

    1 Recados:

    Le Chasseuse ! disse...

    Mais um passo pra volta pra casa !

    Vou sentir saudades !