Os caminhos estão cheios de tentações

  • on 04/11/2007
  •  
    Os caminhos estão cheios de tentações.
    Os nossos pés arrastam-se na areia lúbrica...
    Oh! tomemos os barcos das nuvens!
    Enfunemos as velas dos ventos!
    Os nossos lábios tensos incomodam-nos como estranhas mordaças.
    Vamos! vamos lançar no espaço - alto, cada vez mais alto! - a rede das estrelas...
    Mas vem da terra, sobe da terra, insistente, pesado,
    Um cheiro quente de cabelos...
    A Esfinge mia como uma gata.
    E o seu grito agudo agita a insônia dos adolescentes pálidos,
    O sono febril das virgens nos seus leitos.
    De que nos serve agora o Cristo do Corcovado?!
    Há um longo, um arquejante frêmito nas palmeiras, em torno...
    A Noite negra, demoradamente,
    Aperta o mundo entre os seus joelhos.

    [Mario Quintana; Aprendiz de Feiticeiro, 1950]
    Share |

    2 Recados:

    Le Chasseuse ! disse...

    . é por isso que na maioria das vezes eu prefiro a estrada de tijolos amarelos, mesmo quando ela nos leva até a Bruxa do Oeste, Dorothy cintila seus pequeninos sapatinhos vermelhos e lá estamos nós naquela estrada novamente.

    Uchiha Sasuke? disse...

    ~Tentações são o que não nos faltam, parece até que vêm até nós como um santo castigo pelas nossas promessas sem fundamento! (problemas)
    Pensei que fosse postar por aqui a outra poesia, mas, por fim, as duas são bonitas mesmo! Ousadia desse Mario Quintana não ter surgido antes no meu conhecimento, sou a ignorância ambulante em relação a poetas!, especialmente quais ainda vivem.