Eu discordo!

  • on 29/03/2009
  • Meus amigos sabem que sou do contra, não é uma opção, está mais para uma tempestade, simplesmente ocorre, não tenho nenhum prazer especial em pensar diferente, em ser contrario a boa parte do chamado senso comum. 

    Na vida pessoal isso já é complicado, na profissional tem sido um fardo, no geral prefiro me calar a ter longas discussões sobre temas distantes como liberdade, lógica economica, critérios científicos, escolha e/ou moral. As pessoas não querem opiniões diferentes, não estão interessadas no contraditório, e realmente acho que estão de certas. 

    Veja, o dia-a-dia de um profissional é sempre corrido, tem suas tarefas, suas reuniões, seus objetivos e os sempre presentes, problemas inesperados. Então para quê perder tempo para escutar alguém que diverge sobre temas quase metafísicos?

    Não estou sendo irónico, estou sendo prático, prefiro me calar a dar looongas explicações por que acho inadequado exibir o vídeo do Al Gore em sala de aula, ou levantar a questão que é um absurdo em termos criticarmos a chamada Sociedade de Consumo e ao mesmo tempo condenarmos a miséria no mundo.

    No fim é minha opinião (ou formação) contra meio mundo ou em alguns casos o mundo (quase)inteiro, por que de dar crédito, por exemplo, quando afirmo que desenvolver o hábito de ler livros estúpidos é pior que não ler livros nenhum?

    Ocasionalmente rompo meu silêncio com frases de efeitos, mas tento evitar isso ao máximo, porque em geral as pessoas querem explicações, e reconheço que não tenho muita motivação para fazê-lo.

    Ai chegamos a uma harmonia sinistra, de um lado trabalho com profissionais que não tem tempo para escutar opiniões contraditórias, do outro minha abissal preguiça de explicar minhas opiniões...

    Bem afinal por que estou falando isso? É que estou seriamente tentado a escrever dois a textos-artigos coerentes entre si mas diferentes, duas propostas de trabalho, os títulos provisórios são:

    • Por uma educação para Cavalcantis.
    • Por que não conscientizar meu aluno.
    Quem sabe um dia não tomo coragem e escrevo?


    Share |

    3 Recados:

    Lu Poeta disse...

    Jeito Djan de ser!

    Cardiano disse...

    Bem, respeito sua opinião porem será q vale se calar por "preguiça" sei q sou jovem e imaturo porem sempre tem alguem pra ouvir seus discursos, afinal fui/sou um deles e espero que o meu tbm um dia seja ouvido.

    Le Chasseuse disse...

    Pra variar eu discordo.
    Tendo em mãos opiniões tão diversificadas a ponto de estar contra meio mundo. Seria eternamente produtivo passar isso a jovens que procuram muito mais do que a simples matemática onde dois e dois são quatro. Cabe sim, largar a preguiça e expor aos merecidos o devido contexto do outro lado.

    Quem sabe assim, eles passariam a ler livros menos estúpidos